ESTUDO

COVID 19 / GT

Gostaria de se voluntariar para um estudo clínico?

A Science Valley atualmente conduz o estudo GT0918, que tem por objetivo avaliar a eficácia clínica do composto GT0918 em comparação com medicamento placebo no tratamento de  pacientes  do  sexo  masculino  com COVID-19 leve a moderado.

Sobre a COVID-19

A doença causada pelo vírus Sars-Cov-2, pertencente à família dos coronavírus, foi primeiramente relatada em meados de dezembro de 2019, na cidade de Wuhan, na província de Hubei na China. Devido a sua alta taxa capacidade de transmissão, o vírus se disseminou de forma rápida, resultando em uma pandemia global. Com o surgimento de novas variantes, a Covid-19 continua presente, o que requer especial atenção aos métodos preventivos e medidas de segurança adotadas.

Qual sua incidência?

De acordo com o Coronavirus Resource Center, atrelado à Johns Hopkins University and Medicine, desde seu surgimento até dezembro de 2021, 276.423.394 pessoas contraíram o vírus Sars-Cov-2, sendo que destas, até momento 271.050.505 se recuperaram e 5.372.889 vieram a óbito. No Brasil, desde seu aparecimento até dezembro de 2021, 22.219.477 brasileiros foram contaminados pelo virús Sars-Cov-2, sendo que destes 21.601.529 se recuperaram e 617.948 pacientes vieram à óbito.

Como o vírus Sars-Cov-2 age?

Os coronavírus são um grupo de vírus relacionados ao RNA que causam doenças em mamíferos e aves. Nos humanos, este grupo de vírus causam infecções no trato respiratório que podem variar de leve a letais. Dentre os coronavírus destaca-se o Síndrome respiratória aguda grave coronavírus 2 (Sars-Cov-2). O Sars-Cov-2 é o causador da Covid-19, responsável pela pandemia instaurada no ano de 2020 e que se estende até o presente momento.

Evidências atuais sugerem que o vírus se espalha principalmente entre pessoas que estão em contato próximo (aproximadamente 1 metro de distância). Uma pessoa pode ser infectada quando aerossóis ou gotículas contendo o vírus são inaladas ou entram diretamente em contato com os olhos, nariz ou boca.

O vírus também pode se espalhar em ambientes internos mal ventilados e/ou lotados, onde as pessoas tendem a passar períodos mais longos de tempo. Isso porque os aerossóis permanecem suspensos no ar ou viajam por alguns metros de distância.

Sintomas

O vírus Sars-Cov-2 pode infectar uma gama de células e sistemas do corpo. O Covid-19 é mais conhecido por afetar o trato respiratório superior (seios nasais, nariz e garganta) e o trato respiratório inferior (traqueia e pulmões). Os pulmões são os órgãos mais afetados pelo Covid-19 pois o vírus acessa as células hospedeiras através de receptores abundantes na superfície das células alveolares dos pulmões.

Além do trato respiratório, o Sars-Cov-2 pode afetar o sistema nervoso, resultando na infecção das células de suporte do epitélio olfativo, com consequente alteração no olfato. De forma similar, o vírus pode afetar o trato gastrointestinal.

O vírus pode, ainda, causar lesão aguda do miocárdio e danos crônicos ao sistema cardiovascular. As taxas de sintomas cardiovasculares são altas, devido à resposta inflamatória sistêmica e distúrbios do sistema imunológico durante a progressão da doença. Uma alta incidência de trombose e tromboembolismos venoso foram encontrados em pessoas transferidas para unidades de terapia intensiva (UTI) com infecções de Covid-19, podendo estar relacionadas a prognósticos ruins. A disfunção dos vasos sanguíneos e a formação de coágulos são considerados um papel significativo na mortalidade, incidência de coágulos levando a embolias pulmonares, e eventos isquêmicos associados à complicações que levaram a morte pessoas infectadas pelo Sars-Cov-2.

Como diagnosticar?

O Covid-19 pode ser diagnosticado provisoriamente com base em sintomas e confirmado através de exame por RT-PCR, que utiliza material coletado da mucosa nasal e da garganta.

Outra metodologia para diagnosticar o Sars-Cov-2 detecta anticorpos IgM, IgA e/ou IgG produzidos pela resposta imunológica do indivíduo em contato com o vírus, podendo diagnosticar a doença ativa ou progressiva.  

Os testes rápidos estão disponíveis em duas formas, testes rápidos de antígenos e testes rápidos de anticorpos. O teste rápido de antígeno detecta proteína do vírus em amostras coletadas da nasofaringe e da orofaringe, devendo ser realizado durante a infecção ativa (fase aguda da doença). Já o teste rápido de anticorpos detecta IgM e IgG (fase  convalescente) em amostras de sangue total, soro ou plasma.

Qual o tratamento?

Até o presente momento, não há tratamento ou cura específico e eficaz para a Covid-19. Durante a pandemia da Covid-19, vacinas altamente eficazes foram introduzidas e estão retardando a avanço do Sars-Cov-2.